SOBRE

           10 Razões para Ser Arquiteto

 

1. É um estilo de vida, não um emprego.

Arquitetos normalmente tendem a pensar sobre arquitetura todo o tempo. Não apenas em grandes projetos ou construções especiais, mas em cada pequena coisa de todo lugar em que vão. Arquiteto vai a algum lugar e já começa a olhar para os materiais, acabamentos, formas, iluminação, etc. Se vai fazer uma viagem, já começa a planejar e ficar imaginando os edifícios que gostaria de visitar. Provavelmente, 90% de todos os livros que compra é sempre de arquitetura. 

 

2. Pessoas respeitam arquitetos.

Mesmo que a maioria delas não entenda perfeitamente o que fazemos, há uma percepção geral de que somos éticos e responsáveis; e que tomaremos a decisão certa para seu benefício. Arquitetos não são  vistos como movidos apenas por recompensas financeiras. 

 

3. O trabalho é sempre envolvente.

Arquitetos não são só artistas, já que têm de abordar tecnologia de construção e planejamento. Envolvem-se sempre com materiais e métodos construtivos; e são requeridos para atender às demandas do público no desempenho das edificações, o que inclui consumo energético e outras questões ambientais. Arquitetos criam novos conceitos em design que retroalimentam a construção todo dia, além de influenciar gostos, atitudes e costumes. Arquitetura é uma das poucas profissões que nunca é monótona.

 

4. Liberdade artística e expressão pessoal.

Como arquitetos, somos dotados de certos parâmetros que ajudam a orientar a direção dos nossos projetos. Temos capacidade de crítica e discernimento. Porém, temos a liberdade para o exercício da criatividade artística sobre aqueles parâmetros. Temos sensibilidade e bom senso. Se houver 10 arquitetos com o mesmo cliente e os parâmetros de projeto forem os mesmos, provavelmente haverá 10 soluções diferentes. Sempre.

 

5. Você pode ser seu próprio chefe.

Além de poder ter a sua própria empresa, o arquiteto pode prestar serviços para terceiros em qualquer tipo ou tamanho de projeto. Pode ainda participar de concursos, executar obras ou mesmo ganhar comissões pelos seus projetos e especificações. Não há outra profissão que permita atingir amplitudes semelhantes. Uma equipe de três arquitetos é capaz de projetar e dirigir a construção de um shopping center com mais de 100.000 metros quadrados.

 

6. Há resultados tangíveis na materialização de seus projetos.

Qualquer arquiteto pode ver um edifício funcionando exatamente como imaginou. E é impossível não ficar animado em ter um de seus projetos construídos: é como ter o seu próprio laboratório, onde você pode experimentar e aperfeiçoar as coisas que considera importantes. Todo arquiteto guarda um sentimento de posse sobre todos os projetos em que trabalhou.

 

7. Podemos impactar positivamente a vida das pessoas.

É sempre gratificante desenvolver um relacionamento pessoal com o seu cliente, especialmente quando se sabe que o processo resultará em um produto de qualidade. Ao compreender o processo, nossos clientes apreciam o produto. Apreciando o produto, eles estão reconhecendo o papel que desempenhamos. Ser arquiteto é ser útil e necessário para quem precisa.

 

8. Experimentação é esperada.

Apesar da arquitetura conter ciência e tecnologia da construção, seu produto final não significa uma resposta definitivamente certa ou errada. Dois arquitetos nunca chegarão exatamente a uma mesma solução, partido de um conjunto idêntico de parâmetros de projeto. Há um sentido libertador que faz você agir com o propósito de transmitir a sua própria personalidade no projeto. Espera-se que tente coisas novas, explore diferentes materiais e incorpore tecnologias emergentes em cada um de seus projetos.

 

9. Longevidade de carreira.

Você pode exercer a profissão de arquitetura por quanto tempo que quiser – você sempre vai ser arquiteto, mesmo que não trabalhe mais. A maioria dos arquitetos começa a ficar realmente melhor em sua profissão mais tarde na vida, em torno dos 50 anos. Isto porque se acumula conhecimento e experiência para se poder deixar sua marca naquilo que cria e executa. Nenhum arquiteto se forma pronto: ele vai se aperfeiçoando e sua arquitetura também.

 

10. Há uma incrível variedade de opções na profissão.

Ao contrário de outras carreiras, você se forma em arquitetura sem saber direito em que área dela vai focar. Isto é ótimo, porque, como recém-formado, você ainda não sabe todas as possibilidades que tem como arquiteto. Você pode flutuar entre as pequenas e grandes empresas; trabalhar em projeto, construção ou gestão; ambientes externos e espaços internos. Pode atuar como designer, pesquisador, professor, construtor, vendedor, cenógrafo ou artista; ou ainda ingressar em diversos setores do mercado, incluindo patrimônio, paisagismo, planejamento urbano, serviços, etc.. E, mesmo assim, vai ainda continuar sendo arquiteto.

 

 

 

6 dicas para contratar um arquiteto

 

 

A escolha de um arquiteto é determinante para a satisfação final de sua obra. Para tomar a melhor decisão, o portal Arquitetura e Urbanismo para Todos montou uma espécie de guia de questões a se considerar na hora de contratar e que podem te ajudar a escolher o profissional mais adequado para as suas necessidades. Tenha em mente:

 

1) Reflita sobre o que você precisa em sua construção.

O primeiro sinal de que você precisa de um arquiteto vem com perguntas assim: “Quero construir uma casa, mas como é a casa que eu preciso?”; “Como saberei qual a melhor decisão tomar?”; “Quanto devo gastar?”; “Que tipo de imprevistos estou arriscado a ter?”; “Terei dinheiro para tudo isso?”. Quando tiver em mente as suas expectativas, contrate um arquiteto. Ele vai te ajudar a transformar isso em uma proposta, que é a base de qualquer projeto.

 

2) Faça uma lista de candidatos.

Para fazer a seleção, o ideal é conversar com conhecidos que já trabalharam com esse tipo de serviço ou contate arquitetos de obras com as quais você se identifica. Se ainda assim não tiver uma ideia, tente os sindicatos de seu estado e as associações de arquitetos e urbanistas.

Assim que tiver uma lista de prováveis candidatos, a primeira coisa que se deve fazer é checar se eles possuem registro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo de seu estado. O CAU/BR possui uma ferramenta online para fazer essa checagem. Basta clicar na guia “Buscar profissional/empresa”. Lembre-se, só diploma não basta, somente arquitetos e urbanistas registrados no CAU podem exercer a profissão no país.

 

3) Visite as obras que ele já fez.

Arquitetos possuem portfólios para mostrar seu trabalho. Hoje em dia a maioria expõe seus projetos na internet. Leve isso em consideração na hora de avaliar quem tem o perfil mais próximo do que você precisa, mas não fique só na internet ou no papel. Visite, se possível, as obras dele e avalie sua qualidade.

 

4) Arquiteto é o seu primeiro representante. Use isso a seu favor.

Tudo que envolve intenção, projeto e planejamento precisa de um arquiteto desde o início. Quanto antes você envolvê-lo na sua obra, maior leque de atuação ele terá. O arquiteto é a pessoa mais indicada para representar os interesses do cliente, pois pode debater com os executores da construção quais são as melhores soluções possíveis e adequadas para cada caso. Engenheiros e mestres de obras são ótimos profissionais para pensar o processo de construção, mas a função que ela irá exercer depois de pronta depende de uma visão global e crítica que passa pela habilidade específica dos arquitetos.

Como representante dos seus interesses, o arquiteto é o primeiro a ter preocupação com a qualidade final do resultado da obra e com a sua satisfação em relação a ela. Ele é a pessoa mais indicada para supervisionar todo o processo e garantir que tudo seja encaminhado conforme decidido no projeto.

 

5) Não comece sua obra sem ter um projeto pronto.

Gastar dinheiro para economizar dinheiro é uma das melhores maneiras para otimizar seus recursos. “Arquitetura é um serviço de luxo” é apenas um mito muito propagado e por isso acaba se tornando uma falsa verdade. Construções não são apenas a obra, são também a manutenção futura que ela exigirá. Cada centavo gasto com os honorários do seu arquiteto retornam, seja em tempo economizado, melhor qualidade dos materiais ou a adequação da sua construção. Projetos geralmente custam de 2% a 15% do valor total do empreendimento. Por outro lado, construir sem projeto e ter de construir de novo é uma dor de cabeça que pode multiplicar o valor da obra.

 

 6) Na hora de definir o orçamento consulte a tabela do CAU

O CAU possui uma tabela  de honorários para nortear os valores para cada atividade envolvendo o trabalho dos arquitetos e urbanistas. Ao acessá-la você precisará se cadastrar. Os honorários podem ser pagos ao final de cada uma das fases do projeto e do empreendimento. Quando maior a complexidade, mais fases e mais reuniões de aprovação a obra demandará. Os preços dos serviços arquitetônicos podem variar muito, dependendo da experiência e especialidade do arquiteto, mas a tabela é muito útil para quem nunca contratou esse tipo de serviço poder negociar esses valores de maneira justa e transparente.

   © 2015  por  PRISCILA CHAMONE GESSER | ARQUITETOS.                    By Wix.com